português brasileiro english

Portal do Binho

Variedades

  • Fases do nascer e do por do sol

Fases do nascer e do por do sol

Tão belos espetáculos da natureza que merecem sempre ser retratados. Esta página está em construção ainda e serve como dica da Senha M - Sequência quase poética - da comunidade de Orkut Descubra a Senha. Todas as imagens desta página são de minha autoria e estão com resolução 960x540 (metade da Full HD). A carga total desta página é 1362KB.

ALVA, primeira luz da manhã - quão branca ela é...

ALVA ou alba ou ainda alvor é o nome que se dá à primeira incidência de luz solar pela manhã, bem antes do nascer do sol. Seu nome - e seu significado - sugere que é uma luz branca, mas pouco branca se pode notar esta luz. Na verdade, o que se vê é o céu clareando aos poucos, sendo a primeira noção que se tem é a possibilidade de ver o azul do céu e distinguir as nuvens. Por isso deixo a questão: quão branca ela é?

Mas sim, é a alva uma luz branca e tênue, que só faz em seu início clarear de leve o céu negro, mostrando sua tonalidade azul ainda escura. O período de alva é considerado enquanto não houver tonalidades rosadas ou alaranjadas, ou seja, enquanto o céu e as nuvens mostrarem tonalidades de azul, branco e cinza. Seu início é muito interessante: em um momento, o céu está negro; de repente, é possível enxergar o azul. É como foi na primeira foto abaixo: dava para saber que havia nuvens no céu, mas quase impossível de enxergar. Bastou uma distração, uma piscada e pronto. O final da alva é marcado por um momento que é seu auge, que faz romper, como um toque, o período seguinte.

Sequência 1A
Pau da Fome, Rio de Janeiro/RJ - 16/03/2007 às 05:18:13

Sequência 1B
Pau da Fome, Rio de Janeiro/RJ - 16/03/2007 às 05:19:52

Mas rápido no seu auge faz romper como um toque...

O auge da alva se dá em apenas um momento: a ALVORADA. A palavra alvorada é usada também para designar toda a ocasião do nascer do sol, mas na verdade quer dizer começo ou início. Desta forma, alvorada é o início do nascer do sol (ou alvorecer). É uma diferença sutil: a palavra alvorada marca o início do alvorecer, que é o início do dia.

E é a mais perfeita expressão da verdade o significado das palavras. Durante a alva, temos a incidência da luz solar, que, ainda longe, vem aos poucos clareando o céu. Mas, nesta fase, o que vemos são tonalidades azuis e cinzas, como se fosse a projeção de uma luz branca sobre o fundo escuro. No momento da alvorada, tem-se o auge da claridade ainda sem tonalidades diferentes de branco ou azul no céu. No momento seguinte, começam a aparecer as tonalidades rosas, que é a aurora anunciando a chegada do sol em breve.

A alvorada é tomada como o momento apropriado para o despertar. Por este motivo é que existe o toque de alvorada, usado pelos militares em seu despertar. Acordar momentos antes do sol nascer e desde cedo se preparar para as atividades do dia.

Sequência 2A
Trindade, Parati/RJ - 18/07/2009 às 07:48:56

A ostentação da beleza da flor açucena!

A AURORA é a fase do nascer do sol após a alvorada, quando, após o ápice da luz branca, o céu e as nuvens adquirem tonalidades rosadas. É um espetáculo ímpar do amanhecer.

Não se pode confundir com aurora polar, que é o fenômeno ótico que acontece nas regiões polares devido ao impacto de partículas provenientes do vento solar com a atmosfera terrestre. Este fenômeno é conhecido como aurora boreal ou aurora austral, conforme se dê próximo ao polo norte ou ao polo sul. Pena que apenas algumas regiões privilegiadas do planeta podem contemplar este espetáculo. Já a aurora do amanhecer é possível de se ver em qualquer lugar, basta acordar cedo!

Aurora também é a deusa do amanhecer na mitologia romana, correspondente à deusa Eos da mitologia grega. Aurora, em latim, significa amanhecer.

Já açucena é a designação genérica de belas flores do gênero amaryllis. A coloração rosa exclusiva dessas flores lhe conferem beleza sem igual. Esta cor é conhecida como rosicler e, devido à semelhança entre as tonalidades da flor e do céu ao amanhecer, momentos antes do nascer do sol, diz-se que a aurora ostenta a cor da açucena.

É importante observar que a cor da aurora não é aquela cor alaranjada ou avermelhada que tanto gostamos, é um espetáculo a parte, por isso essa ocasião do amanhecer recebe um nome especial!

Sequência 3A
Algum lugar da BR116 (Dutra) - 26/12/2007 às 05:02:24

Sequência 3B
Trindade, Parati/RJ - 18/07/2009 às 07:49:14

Ele que com seu nome exclusivo aos poucos mostra o astro

O que muitos chamam de crepúsculo matutino tem na verdade seu nome exclusivo: DILÚCULO. Talvez por simplicidade e semelhança nos fenômenos, a expressão crepúsculo tenha ficado no lugar. No entanto, crepúsculo significa fim enquanto dilúculo, começo. Em termos náuticos, é sempre crepúsculo, matutino ou vespertino, mas estes termos definem até o momento exato em que começam e terminam, ou seja, são extremamente técnicos.

Muito se fala da beleza do crepúsculo, mas o dilúculo em nada fica atrás. As mesmas tonalidades fortes de vermelho e laranja provocam fascínio nas pessoas. Dilúculos de outono e primavera, com tonalidades ainda mais vibrantes, são tão belos quantos os crepúsculos nas mesmas épocas.

Sequência 4A
Trindade, Parati/RJ - 18/07/2009 às 07:52:30

Sequência 4B
São José dos Campos/SP - 22/02/2007 às 07:02:02

Que como algodão refletindo o fogo...

Tantos nomes, tantas ocasiões. à noite, o céu parece negro e as nuvens, brancas ou cinzas... Quando se consegue ver. Durante o dia, o céu se mostra geralmente azul e ostenta nuvens brancas. Eis que tem-se alva, alvorada, aurora, dilúculo, crepúsculo, lusco-fusco... E tantos nomes que marcam o nascer e o por do sol, bem como os momentos que precedem o nascer do sol ao amanhecer ou que sucedem o ocaso.

No entanto, as nuvens e o céu apresentam um espetáculo a parte mesmo após o amanhecer e antes que o sol comece a se por. As nuvens apresentam forte contraste entre as suas partes mais claras e mais escuras, como se estivessem acesas. O céu assume uma coloração mais viva e também aumenta o contraste de sua cor com as nuvens. Muitas vezes, este espetáculo apresenta tonalidades rosas, alaranjadas e vermelhas.

Este espetáculo também tem nome: ARREBOL. Muitas vezes esquecido, pois os outros espetáculos do nascer e do por do sol se apresentam com maior intensidade, mas o arrebol é um espetáculo que deve ser observado com carinho. Com o mesmo carinho que foi observado na obra de Zé Ramalho, Beira-Mar.

Não há distinção de nome entre o fenômeno matutino e o vespertino, ambos se chamam arrebol. Então não se esqueçam: se o sol já nasceu ou ainda não se pôs, mas o céu apresenta um belo espetáculo, com cores vibrantes, como se as nuvens estivessem incandescentes, é o arrebol que está presente, anunciando que o astro-rei sol acaba de chegar ou está prestes a se retirar.

... se apresenta

Sequência 5A
Pau da Fome, Rio de Janeiro/RJ - 16/03/2007 às 06:52:51

... e se despede

Sequência 6A
São José dos Campos/SP - 12/04/2007 às 17:41:07

Sequência 6B
São José dos Campos/SP - 07/06/2008 às 17:19:42

Como a moça que vê o filme

O tão belo CREPÚSCULO ficou ainda mais famoso com o recente sucesso no filme que tem seu nome, apreciado principalmente pelas moças pela sua história romântica e também, por que não dizer, pelos belos rapazes que protagonizam a história.

Mas, sim, é de pura beleza que o fenômeno natural crepúsculo é marcado. A festa da despedida da nossa estrela sol é um espetáculo marcado por cores que nos leva ao fascínio. Tantos gostam de apenas apreciar ou mesmo retratar. Crepúsculo significa e indica o fim, mas o o final do dia, como se fosse a cerimônia durante a retirada do rei sol.

Sequência 7A
São José dos Campos/SP - 11/04/2007 às 17:46:51

Sequência 7B
São José dos Campos/SP - 17/02/2007 às 19:35:27

Sequência 7C
Porto Alegre/RS - 06/10/2008 às 18:34:37

O vesgo e pardo triste adormece

Lusco quer dizer vesgo e fusco, pardo. Mas LUSCO-FUSCO é a última fase do espetáculo do ocaso. Após o fascínio do crepúsculo, quando já não há mais sol, quando as cores do céu se tornam menos vibrantes até que já não haja luz solar, é o lusco-fusco que tem a nobre missão de encerrar a despedida do rei.

Mas não porque as cores são menos vivas que o lusco-fusco é menos belo. Apesar de apresentar cores mais pálidas até a escuridão, esta fase mostra várias tonalidades, como amareladas, marrons, rosas, roxas e azuis. São momentos de rara beleza.

Pode-se questionar porque não há uma aurora vespertina, já que é possível ver, entre outras cores, tonalidades rosadas também após o por do sol. No entanto, as cores após o crepúsculo se apresentam em uma ordem menos definida: às vezes uma tonalidade aparece, dá lugar a outra cor e depois retorna. Em outras vezes, o céu assume uma cor e vai apresentando tonalidades dessa mesma cor, cada vez mais escuras, até o céu se tornar totalmente escuro com o cair da noite.

Por este motivo, o ocaso não tem tantas divisões quanto o alvorecer. Esta diferença tem explicação. Apesar de fenômenos semelhantes, são distintos o alvorecer e o ocaso: o primeiro representa a chegada do sol e o segundo, a sua partida. Portanto, a propagação dos raios solares e da luz se dá de forma diferente em cada um dos casos, em relação ao observador na Terra. É fácil entender fazendo uma comparação com a expressão "sol da manhã" (quem conhece esta expressão, fica ainda mais fácil entender): da mesma forma que o amanhecer faz esquentar o que estava frio, o sol da tarde é diferente, pois esquenta o que já foi aquecido durante a manhã. Outra forma de pensar é fazendo a comparação com o som de uma sirene: conforme ela se aproxima, parece mais aguda, até que se torna diferente enquanto está próxima e fica mais grave conforme o veículo se afasta. Assim, o alvorecer seria como o som agudo da aproximação, o dia seria como o normal da sirene e o ocaso, como o som grave durante o afastamento.

Sequência 8A
São Paulo/SP - 18/02/2008 às 18:28:53

Sequência 8B
Porto Alegre/RS - 06/10/2008 às 18:50:26

Sequência 8C
Algum lugar da BR116 (Dutra) - 15/06/2008 às 17:43:22

Copyright © Binho RbSoft, 2014